sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Liam Neeson estrelará novo filme de Scorsese

O ator Liam Neeson ("Busca Implacável") estrelará o novo filme do diretor Martin Scorsese, "Silence". Os dois já trabalharam juntos no filme "Gangues de Nova York". "Silence" será ambientado no Japão do século XVI e acompanhará missionários portugueses que viajam pelo país confortando convertidos locais e impedindo que padres sejam torturados pelos senhores feudais - maneira local que visava expulsar os catequistas europeus do Japão. Completam o elenco Andrew Garfield, Adam Driver e Ken Watanabe. O roteiro é adaptado dum romance de Shusaku Endo por Martin Scorsese e Jay Cocks. As filmagens começam em junho e a estreia ocorrerá ano que vem.

- Demolidor

Jesse Eisenberg será o Lex Luthor em "Batman vs Superman"

Após rumores de que Bryan Cranston ou Terry O'Quinn viveriam o Lex Luthor na continuação de "O Homem de Aço", a Warner oficializou o contratado. O ator escolhido foi Jesse Eisenberg ("A Rede Social"). Além deste, a Warner também anunciou que Jeremy Irons viverá o mordomo Alfred no filme. O filme tem previsão de estreia para 2016 e o título ainda não foi oficialmente divulgado.
- Demolidor

Crítica de "A Menina que Roubava Livros"

A Segunda Guerra Mundial foi um dos eventos mais devastadores da história da humanidade. Até agora, foi a maior guerra entre seres humanos da história e, por conseguinte, talvez o maior evento histórico do século XX. Como qualquer outro evento importante, a Segunda Guerra gerou obras na cultura POP como livros, games, filmes... Uma dessas obras foi o livro "A Menina que Roubava Livros" (se você preferir "The Book Thief") do escritor australiano Markus Zusak. Porém essa obra não é da Guerra propriamente dita como nos jogos FPS ou nos famosos filmes do Spielberg ("A Lista de Schindler", "O Resgate do Soldado Ryan"). "A Menina que Roubava Livros" conta a história de Liesel (Sophie Nélisse), cuja mãe é comunista. Esta, para salvar sua filha, a entrega para um casal alemão, Hans (Geoffrey Rush) e Rosa (Emily Watson). Um tempo depois para cumprir a promessa de um homem que salvou sua vida, Hans esconde o judeu Max (Ben Schnetzer) em seu porão. Liesel então começa a roubar livros na casa de um rico alemão para ler ao seu novo amigo.

Antes de mais nada, gostaria de informar que eu não li o romance de Zusak. Então não saberia dizer como o filme é em termo de adaptação. A minha crítica será baseada no filme analisado cinematograficamente. O roteiro do filme é bem fluido e apresenta os seus personagens habilmente. Quando se pensa em II Guerra Mundial, pensa-se que todo alemão é mal e gosta da Guerra. Porém o roteiro do filme prova o contrário. O roteiro preza por enaltecer as qualidades dos alemães e mostrar que estes estão aflitos com a Guerra tanto quanto qualquer outro cidadão no mundo. Isso é bastante notável, principalmente pelo casal adotivo de Liesel, porque estes possuem um ótimo desenvolvimento e cada um desses personagens possui uma característica própria, que os tornam os melhores personagens do longa. Mas não pense que o roteiro elogia o nazismo. É perceptível como o roteirista Michael Petroni ("As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada") insere nos diálogos piadas sobre Hitler feitas por alemães. Além disso, o roteiro também mostra a crueldade dos soldados até mesmo com os próprios conterrâneos, ao baterem neles ou insultarem na frente de muitas pessoas. Uma coisa interessante no roteiro é que a Morte narra a história (assim como no livro). Dessa forma, o filme apresenta questões interessantes sobre o ser-humano perante à morte, a inevitabilidade perante o inevitável e apresenta um ponto de vista que talvez nunca tivéssemos parado para pensar.

A direção de Brian Percival é eficiente. Até mesmo na direção ocorre críticas visuais ao sistema nazista. Por exemplo: na primeira vez que Liesel chega a Rua do Paraíso (onde moram o seu casal adotivo), o diretor abre o plano e mostra a rua inteira. Assim, somos apresentados a um mundo branco, sem cor, sem vida, que procura respirar, mas o sistema o sufoca. Outro exemplo é a cena em que Liesel é forçada a sair da casa do rico nazista e quando ela olha para trás, a fim de dar um adeus, ela vê a esposa dele (a mulher que estava mostrando a garota os livros) atrás da porta. Essa porta tem riscos verticais que lembram uma prisão, ou seja, a mulher está num certo tipo de prisão devido ao seu marido. Ou também na cena do dia do aniversário de Hitler, onde os alemães vão para as ruas queimares seus livros. O diretor usa muito a imagem da cor preta que significa morte, ou seja, as pessoas se corromperam devido ao sistema rígido e morrem aos poucos, devido a tanto sofrimento. A única cor mais clara perceptível na cena é a da roupa de Liesel, que significa que mesmo num mundo tão obscuro e devastador como aquele, uma gota de esperança pode mudar o panorama do jogo. Esses são apenas alguns de vários momentos, onde o diretor usa da expressão visual do filme para criticar uma forma de governo tão errada.

O elenco foi bem escolhido. Sophie Nélisse (em seu primeiro papel de destaque) conduz bem o filme. Ela não faz um excelente trabalho, mas ele consegue demostrar os sentimentos da garota nos momentos certos. Certamente falta experiência em alguns improvisos e expressões faciais, porém o talento é eminente. Quem realmente brilha na atuação é Geoffrey Rush ("Piratas do Caribe", "O Discurso do Rei") e Emily Watson ("Cavalo de Guerra"). Os atores aproveitam seus ótimos personagens para fazerem ótimas caracterizações e desenvolvimento de relações. As cenas em que os dois estão juntos são variáveis, às vezes são cômicas, às vezes dramáticas, às vezes tensas. Essa variedade ilustra a capacidade dos atores de mudarem o humor dos personagens sem parecerem forçados. A fotografia do longa é belíssima. A ambientação com neve, o rio servem de uma bela paisagem para os personagens. Estes cenários também são certeiros, porque lembram as construções da época. Existe um efeito especial no filme e este é mal feito. O efeito parece que foi feito às pressas e de qualquer forma não alterou muito o rumo da trama. O figurino serviu para ilustrar a moda da época, os uniformes rígidos. A trilha sonora é de John Williams. Ela é constante e melodramática, porém sente-se a falta de um hino para o filme como o compositor fez em "Indiana Jones", "E.T. - O Extraterrestre", "Harry Potter", "Star Wars". Nessas obras citadas quando toca-se a música tema de qualquer uma delas já sabe-se a qual delas pertence. Porém no atual trabalho, John Williams não apresenta nenhuma música que grude na cabeça e a trilha chega a ser repetitiva e monótona.

O filme apresenta suas situações divertidas, mas trata-se de um drama. As situações dramáticas são resultado de uma boa apresentação e construção de personagens. Se você vai ao cinema esperando ver um novo tipo de "O Menino do Pijama Listrado", o filme te dá muito mais. "A Menina que Roubava Livros" apresenta uma história dramática bem construída e que não é forçada, fazendo uma crítica ao nazismo até nos mínimos detalhes.

Nota: 

- Demolidor

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Primeiro trailer de "A Million Ways to Die in the West"

O faroeste cômico "A Million Ways to Die in the West" ganhou seu primeiro trailer. O longa acompanhará Albert (Seth MacFarlane) que é deixado por sua namorada (Amanda Seyfried) após fugir de um tiroteio. Ele vê uma chance de ganhar o seu respeito de volta quando um conhecido bandido (Liam Neeson) lhe oferece aulas de tio, porém Albert se apaixona pela mulher do pistoleiro (Charlize Theron). O longa é dirigido pelo também protagonista e roteirista Seth MacFarlane ("Ted"). No roteiro Seth conta com a ajuda da dupla de "Ted", Alec Sulkin e Wellesley Wild. O filme estreia no Brasil dia 30 de Maio.
- Demolidor

Crítica de "Fruitvale Station - A Última Parada"

No dia 31 de Dezembro de 2008, a história de Oscar Grant chocou o mundo, principalmente pela violência desnecessária praticada pela polícia de São Francisco. Não contarei o que aconteceu, pois isso seria um spoiler do filme, mas provavelmente você conhece a história. O filme acompanha Oscar Grant (Michael B. Jordan) que perdeu o emprego onde trabalhava. Ele decide contar para sua mulher Sophina (Melonie Diaz) apenas no último dia do ano. Nesse dia também é aniversário da mãe de Oscar, Wanda (Octavia Spencer). Após o aniversário de sua mãe, Oscar e sua mulher decidem assistir os fogos de artifício na cidade. Para isso, eles e seus amigos pegam o metrô que mudará para sempre a suas vidas. O filme, como já dito, é baseado em fatos reais.

O roteiro do longa é bem escrito. O estreante em longas-metragens Ryan Coogler é responsável por ele. O roteiro consegue deixar bem claro a situação de Oscar no trabalho, além de desenvolver excelentemente a relação dele com sua filha, com sua mãe e com sua esposa. Essas relações são essenciais para a carga dramática que o final proporciona. Além disso, a estrutura narrativa usada no longa é simples, mas eficiente. Se você for pensar que o roteiro concentra-se apenas em um dia, a estrutura narrativa é muito bem trabalhada, pois todos os fatos presentes são importantes para a história e, mesmo não possuindo ação ou intriga, o roteiro prende o espectador a todo momento. O personagem principal tem suas características bem apresentadas e os seus pensamentos e sentimentos são explícitos. Desde o começo percebe-se que o longa é uma homenagem a Oscar, e isso é muito respeitável e admirável, mas mesmo sendo uma homenagem, o roteiro deveria apresentar não só as coisas boas dele, mas também as coisas ruins que o fizeram crescer como ser-humano e que poderiam ser um conflito a mais na história. A carga dramática empregada no filme foi boa, mas poderia ser melhor. Considerando a história tocante, o filme poderia explorar mais esse lado emocional, pois assim teria grandes chances de ser um excelente drama. Não é que o longa não empregue carga emocional, mas só somos apresentados a esta no final do último ato, onde (aí sim) o filme brilha e emociona.

A direção também é do estreante Ryan Coogler. Novamente, ele usa técnicas simples para contar a história. A câmera a todo momento foca em Oscar, quando ela não está mostrando diretamente o protagonista, ela está mostrando o mundo sob a visão dele. Isso funciona muito bem, pois serve para uma aproximação da realidade do personagem. O diretor também usa uma técnica muito usada na série "Sherlock", quando o personagem mexe no celular, a mensagem que ele está escrevendo ou o contato que ele está procurando aparecem na tela. Dessa forma, o personagem não precisa ditar o que está escrevendo. São esses pequenos detalhes usados em prol da história que tornam a direção eficaz. A fotografia do filme é regular, apesar de não ser muito trabalhada. Tratando-se de um filme realista, não existe maquiagem visível e o figurino é cotidiano. Existe um momento em que o longa apresenta um flash-back, porém foi mal trabalhado. O espectador só entende que é um flash-back quando a cena acaba e volta para o presente. Isso foi um erro, mas como só foi usado em uma cena, é tolerável.

O elenco foi bem escolhido. Michael B. Jordan (o possível futuro Tocha Humana) está excelente no papel. O personagem foi muito bem caracterizado por ele. As emoções, as incertezas, a raiva, todos esses sentimentos são passados de forma boa pelo ator. Além disso, o ator conseguiu criar uma identificação com o público, por demonstrar tanta intensidade em suas relações. As duas coadjuvantes principais são Melonie Diaz e Octavia Spencer. Melonie Diaz ("Rebobine, Por Favor") está regular no papel de Sophina. Enquanto em algumas cenas as características são apresentadas de forma boa, em outras nota-se uma mudança repentina de personalidade. Octavia Spencer (Vovó... Zona) também sofre do mesmo problema, porém o saldo é mais positivo do que Melonie. Octavia interpreta bem as emoções da mãe de Oscar, porém (principalmente na cena do flash-back) existe uma repentina troca de humor que foi apresentada de forma forçada. O filme é um bom passatempo e possui um saldo positivo. Aliás, o American Film Institute até colocou o filme na lista dos melhores de 2013 (veja a lista). A crítica à ação dos policiais naquela noite é forte e consistente e a mensagem passada de que devemos aproveitar a vida ao máximo também é bonita. Os personagens são bem desenvolvidos, a história é boa, porém infelizmente eu acho que o longa não atrairá um grande público, principalmente por não possuir nenhum nome conhecido. Filme possui ótimos roteiro e direção, porém é prejudicado pelo erro na construção da carga dramática.

Nota: 



- Demolidor

SB-TV #27 - O Lobo de Wall Street

Já é um dos filmes mais polêmicos do ano. Neste SB-TV comentamos o novo longa de Scorsese protagonizado por DiCaprio: "O Lobo de Wall Street"!


- Bilbo

"Thor 3" contrata roteiristas

O segundo filme do Deus do Trovão "Thor - O Mundo Sombrio" ganhará uma continuação. Ao anunciar isso, a Marvel também divulgou os roteiristas do filme. Serão Craig Kyle e Cristopher Yost (roteirista de "Thor - O Mundo Sombrio"). "Thor 3" não tem previsão de início de filmagem, tampouco de lançamento. A direção provavelmente continuará com Alan Taylor.

- Demolidor

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Primeiro trailer de "A Culpa é das Estrelas"

A adaptação cinematográfica do livro escrito por John Green ganhou seu primeiro trailer. Shailene Woodley (também estará na adaptação de "Divergente")  protagoniza o filme, dirigido por Josh Boone. O roteiro é de Scott Neustadter e Michael H. Weber (ambos escreveram o roteiro de "A Pantera Cor de Rosa 2"). O filme estreia em cinemas brasileiros no próximo dia 15 de Agosto.
- Demolidor

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Rocky

Em 1976 estreava nos cinemas "Rocky", um filme que contava a história de um boxeador da Filadélfia. Era um filme rodado em menos de um mês, de baixo orçamento (apenas 1 milhão gastados) que arrecadou não só 117,23 milhões nos EUA, mas o amor de milhares de fãs, fora as 10 indicações ao Oscar e três estatuetas conquistadas. O filme era escrito e protagonizado por "um tal de" Sylvester Stallone, que havia pensado no personagem após ver uma luta de boxe onde Chuck Wepner, um lutador desconhecido, aguentou os 15 rounds com Muhammad Ali. A base do personagem era lutar com adversários mais fortes e aguentar até o final, independentemente do resultado da luta. Stallone foi vender o roteiro com a condição de que ele mesmo iria protagonizá-lo. Os produtores chegaram a oferecer 150 mil dólares para que deixasse o papel para Ryan O'Neal. Eles acabaram aceitando o papel de Stallone desde que o orçamento fosse abaixo de 1 milhão de dólares.

Depois de todo o sucesso do primeiro, estava na hora de vir uma sequência, e ela chegou em 1979, três anos depois. Conhecido no Brasil como "Rocky II - A Revanche", o longa apresentava exatamente o que o título insinuava, a revanche de Rocky Balboa contra Apollo Creed (Carl Weathers). Neste filme Rocky tem um filho com Adrian (Talia Shire), sua esposa. Esse filme, Stallone não só escreveu e atuou, como também dirigiu. O final é grandioso e encerra a história perfeitamente. Uma continuação não seria necessária, mas as pessoas falaram a mesma coisa sobre o primeiro filme.

"Rocky III - O Desafio Supremo" chega em em 1982 (mais um vez, depois de um intervalo de três anos) para encerrar a suposta trilogia do pugilista. Na trama, Rocky já era famoso, assim como Stallone na vida real. Apesar de muitos não saberem, o longa lançou a música Eye of the Tiger da banda Survivor e ainda foi indicado ao Oscar de melhor canção original por ela. Apesar do que o público pensava, a continuação não ficou forçada e manteve o nível dos dois primeiros. Pronto. A trilogia estava encerrada.

Parece que as pessoas se enganaram porque três anos depois vinha "Rocky IV", novamente com direção, atuação e roteiro de Sylvester Stallone. Este longa evidencia o grande embate da Guerra Fria entre os EUA e a URSS, mostrando a América como o ideal com Balboa, e a União Soviética como os ilegais, com o lutador Ivan Drago (Dolph Lundgreen), que, além do uso de drogas, espancou Apollo, que era o atual treinador de Rocky,

Cinco anos depois o mundo veria "Rocky V". Considerado por muitos o pior da franquia, o longa não é dirigido por Stallone, mas por John Avildsen, que havia dirigido não só o primeiro Rocky, mas também os três "Karate Kid" originais. Desta vez o oponente de Balboa é Tommy Gunn, um garoto que foi treinado por Rocky, mas abandonou-o depois da fama e do dinheiro subirem-lhe a cabeça. Neste filme, o protagonista desenvolve um sério problema no crânio e decide parar de lutar ainda no primeiro ato. Mesmo assim, acaba quebrando essa decisão com a luta final que, pela única vez, ocorreu na rua e não num ringue.

Em 2006, 16 anos depois do último filme, Stallone volta, desta vez bem mais velho. Sua esposa está morta e ele vive apenas de recordações. Enquanto isso, o boxe está entrando em decadência. O campeão Mason Dixon já é questionado por nunca ter enfrentado um lutador de peso. Após uma série de ocorrências, Rocky percebe que não está feliz com a sua vida e resolve voltar aos ringues para uma última luta, que acaba sendo com o atual campeão, Dixon. Quem não fica nada contente com sua decisão é seu filho Robert Balboa Jr (Milo Ventimiglia), que já vivia à sombra do pai e agora as coisas iam piorar. Stallone solta um dos grandes discursos motivacionais da história do cinema com: "Ninguém vai bater mais forte do que a vida. Mas não é sobre o quanto você consegue bater. É sobre o quanto você consegue aguentar a pancada e seguir em frente. É assim que se vence!" O filme é cheio de flashbacks que fazem o espectador lembrar da vida do boxeador, possuindo uma edição excelente e uma trilha sonora já consagrada muito bem aproveitada (quem não conhece o tema do Rocky?).

Com uma estrutura narrativa praticamente igual, Stallone ganha os méritos não pela direção e atuação, mas pela a história e o envolvimento com o personagem, algo que não encontramos nos dias de hoje. Eu não consigo enxergar um ator atual que poderia ser o Rocky. Em seis filmes, Stallone conseguiu resumir não só a vida de Rocky Balboa, mas também a sua. O ator cresceu junto com o personagem e criou uma grande história de superação. Mostrando que não é sobre o quanto você consegue bater, mas o quanto você consegue aguentar a pancada e seguir em frente, o que, no fim, era a estratégia de Rocky e a de Stallone.


- Bilbo

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Crítica de "Antes de Watchmen"

A história em quadrinhos "Watchmen" escrita por Alan Moore e desenhada por Dave Gibbons, é considerada uma das melhores da história. Os personagens são marcantes, assim como o roteiro com críticas sociais e políticas. Não é a toa que a HQ ganhou uma adaptação para o cinema em 2007 dirigida pelo mestre do slow-motion, Zack Snyder. Como qualquer coisa americana que faça sucesso, "Watchmen" rendeu mais produtos licenciados. Daí, veio a ideia de fazer uma espécie de prelúdio para os personagens do grupo. Essa ideia foi dividida em 8 revistas para cada um. Coruja, Espectral, Rorschach, Dr. Manhattan, Comediante, Ozymandias, Dollar Bill/Moloch e Minutemen.

O roteiro das HQs é bem fiel ao mundo criado por Alan Moore, mantendo o realismo selvagem apresentado pelo diretor. Algumas revistas excedem à outras. Os melhores roteiros estão presentes nas revistas do Dr. Manhattan e Ozymandias. Note que os dois são os mais importantes para "Watchmen", além de serem os mais poderosos. Os diálogos nas HQs são interessantes, pois eles apresentam o modo de pensar de cada personagem e dessa forma, não acontece uma estranheza, demonstrando assim fidelidade. Outra coisa interessante é que em algumas dessas revistas possuem partes presentes na HQ de Alan Moore e no próprio filme. Isso não acrescenta muito ao roteiro, mas mesmo assim é um presente para os fãs. Mesmo com um saldo positivo nos roteiros, existem alguns que não passam no teste. As HQs do Coruja e da Espectral por exemplo, possuem um roteiro raso e sem função para a obra de Alan Moore. Como a ideia era ser um prelúdio, esses roteiros não antecedem nada, são apenas histórias de adolescentes.

Os desenhos são excepcionais. Os traços não são iguais em todas as revistas, porém mesmo se diferenciando a qualidade continua alta. Os desenhos são bem detalhistas e as cores são usadas de forma inteligente. A HQ em que os desenhos são mais nítidos é a do Rorschach. O personagem, mesmo caricato possui uma boa diversificação de cores e o ambiente em que ele se desenvolve é muito bem trabalhado. Nessa série de revistas percebemos está à frente da Marvel em relação aos desenhos. Enquanto a DC é detalhista, a Marvel é preguiçosa e superficial em seus desenhos.

Depois de todas as histórias principais apresentava-se "O Corsário Carmesim", uma história de um pirata. Primeiramente, essa história não tem nada a ver com o estilo de "Watchmen". Além disso, o roteiro é confuso e os personagens são muito mal trabalhados. A ideia de fazer "Antes de Watchmen" é controvérsia. Por um lado existe a ideia de que nem sempre algumas coisas precisam de ter sua origem contada, porém para os fãs aconteceu um sentimento de nostalgia, relembrando a ótima HQ. A série em quadrinhos possui desenhos exuberantes, roteiros irregulares, mas mesmo assim relembram um grande clássico.

Nota: 


- Demolidor e Vader


domingo, 26 de janeiro de 2014

Vencedores do DGA 2014

Após acontecer o PGA e o SAG, ficaram faltando o Writers (premiação acontecerá dia 1° de fevereiro) e o Directors Guild Awards entregarem suas premiações, que servem de grandes prévias do Oscar. O DGA divulgou seus vencedores e eis-os:

  • Melhor direção em filme: Alfonso Cuarón - "Gravidade"
  • Melhor direção em série dramática: Vince Gilligan - "Breaking Bad"
  • Melhor direção em série cômica: Betty McCarthy-Miller - "30 Rock"
  • Melhor direção em telefilme: Steven Soderbergh - "Behind the Candelabra"
  • Melhor direção em documentário: Jehane Noujaum - "The Square"


- Demolidor

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Crítica de "O Lobo de Wall Street"

Martin Scorsese é um gênio. Disso, todos já sabem. O diretor é responsável por grandes clássicos do cinema como "Taxi Driver", "Touro Indomável" e "Os Bons Companheiros", que estão em muitas listas dos melhores filmes da história. Repare que todos esses longas citados são frutos da parceria do diretor com o ator Robert De Niro. Com tão boa carreira, Scorsese poderia facilmente viver de seus grandes filmes. Porém depois da virada do milênio, o diretor se renovou. Começou uma nova parceria, agora com o ator Leonardo DiCaprio. O primeiro filme dessa parceria foi "Gangues de Nova York", seguido por "O Aviador", "Os Infiltrados", "Ilha do Medo" e agora "O Lobo de Wall Street". O que mais me fascina em Scorsese é sua facilidade de mudar de gênero e continuar num alto patamar. Vamos tomar por exemplo os três filmes anteriores ao Lobo. Em 2010, Scorsese dirigiu o excelente suspense psicótico "Ilha do Medo". Em 2011, o diretor dirigiu um documentário sobre a vida do beatle George Harrison intitulado "George Harrison: Living in the Material World". No mesmo ano, ele fez o filme infantil "A Invenção de Hugo Cabret". Um suspense, um documentário, uma aventura. O que viria em seguida? "O Lobo de Wall Street" veio. O filme é uma comédia baseada na autobiografia de Jordan Belfort. Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio) é um homem muito ambicioso que decide trabalhar numa agência de valores em Wall Street. Ele é instruído por Mark Hanna (Matthew McConaughey), porém acontece uma crise financeira que quebra a Bolsa de Valores e então ele é despedido. Pelo seu próprio talento de persuadir as pessoas a comprar o que ele indica, Jordan cria uma agência de valores juntamente com parceiros seus, dentre eles Donnie Azoff (Jonah Hill) e passa a ganhar muito dinheiro. A partir de então Jordan e seus parceiros apresentam uma literal história de sexo, drogas e rock'n roll e de como o dinheiro pode corromper o ser-humano.

O roteiro é adaptado do livro com o mesmo nome de Jordan Belfort. O roteirista é Terence Winter ("Família Soprano") e ele faz um bom trabalho. O roteiro apresenta diálogos rápidos e cativantes, que tornam o filme divertido. Os personagens são bem desenvolvidos, assim como a relação entre eles. É interessante a forma como o roteiro enaltece a habilidade de Jordan Belfort em enganar as pessoas, pois desse jeito o filme mostra do que ele era capaz para suprir sua ambição. O roteiro é bem fiel aos fatos, não escondendo nada e não demonstrando fatos fictícios. Outra coisa bem interessante do filme é o fato dele ser narrado em primeira-pessoa pelo protagonista, pois assim parece que ele próprio está contando a sua história. O roteiro apesar de bem fiel e divertido pode chatear algumas pessoas pela duração. São 3 horas de um filme de comédia, onde as cenas de ação empolgantes são raras. Talvez o roteiro tenha sido um pouco longo demais para algumas pessoas, e isso é absolutamente compreensível. A direção de Martin Scorsese é excelente. O diretor usa das ambientações que o filme propõe para usar ângulos de câmera inteligentes. Além disso, principalmente no escritório da agência, o diretor faz a câmera passear pelo cenário de forma totalmente orgânica, mostrando cada corretor fazendo sua respectiva tarefa. O diretor também acerta nas cenas em que Jordan fala diretamente com a câmera. Elas fazem parecer que o corretor está dando conselhos ao espectador e isso faz com que a atenção prenda-se mais.

O elenco está sensacional. Leonardo Di Caprio está muito bem no papel principal. Ele representa de forma ótima as obsessões e vícios de Jordan. O ator apresenta ótima fluidez nos diálogos, nas mudanças de tom de voz, nas caras e bocas... Uma coisa que me fascina no ator é a sua construção de carreira. Após o sucesso de "Titanic", onde ele não estava tão bem no papel, muitos achavam que ele não faria mais nada. Porém o ator escolheu os melhores diretores que podiam ajudá-lo a melhorar sua caracterização. Ele trabalhou nos 5 filmes já citados com Scorsese, além de atuar com outros grandes diretores como Quentin Tarantino em "Django Livre", Clint Eastwood em "J. Edgar" e Cristopher Nolan em "A Origem". Parece que com tantos grandes filmes, Leo ganhou experiência e moral e atualmente é um grande ator que tem uma grandiosa carreira pela frente. O ator coadjuvante principal é Jonah Hill ("Anjos da Lei"). O ator atua de forma muito caricata. Nas cenas em que ele é exigido ele faz um papel engraçadíssimo e todas são motivos de risadas. O esforço do ator é notável e ele dá um desenvolvimento próprio ao personagem. Matthew McConaughey (indicado ao Oscar por "Clube de Compras Dallas") dá só uma palinha no filme, mas a cena do restaurante onde ele dá conselhos para Jordan é excepcional. Todo o resto do elenco atua de forma razoável, principalmente porque esses 3 atores citados roubaram a cena totalmente.

O filme não possui nenhum efeito especial relevante e a fotografia não é notada. O figurino porém está ótimo, assim como a maquiagem. A trilha sonora musical foi escolhida belamente, pois cada música tem o ritmo certo para cada situação em que ela é colocada. O filme é indicado a 5 Oscars: melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro adaptado, melhor ator e melhor ator coadjuvante (Jonah Hill). A força do filme não é muito grande perante aos outros na Academia, mas não seria maldade dar um ou dois prêmios ao Lobo. O filme ganhou um Globo de Ouro pela atuação de DiCaprio. Scorsese ousa ao contar uma história que precisava ser conhecida de uma forma cômica que faz jus a expressão "sexo, drogas e rock'n roll".

Nota: 


- Demolidor

Primeiro trailer de "The Bag Man"

O thriller de ação "The Bag Man" ganhou seu primeiro trailer. O filme é protagonizado por Robert de Niro, John Cusack ("Quero ser John Malkovich", "2012") e pela brasileira Rebecca da Costa. A história acompanha um assassino (Cusack) que é contratado por um mafioso (De Niro). Para realizar o trabalho o assassino precisa ganhar espaço entre outros assassinos contratados pelo mafioso e ao cruzar caminho com uma mulher (Rebecca), ambos se aliam e tentam sobreviver a essa carnificina. A direção e o roteiro são do estreante David Grovic e estreia dia 28 de Fevereiro nos EUA.

- Demolidor

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

SB-TV #26 - Game of Thrones e Sherlock

Um programa especial de séries, o SB-TV #26 está no ar e falamos de "Game of Thrones" e "Sherlock"

- Bilbo

Garrett Hedlund será o Capitão Gancho em "Pan"

Após anunciar que Hugh Jackman viverá o pirata Barba Negra, a Warner anunciou mais um ator que comporá o elenco do filme. O ator anunciado foi Garrett Hedlund ("Tron: O Legado") que viverá o Capitão Gancho. O filme contará como Peter Pan chegou à Terra do Nunca e o vilão será o Barba Negra. O Capitão Gancho será um aliado de Peter Pan no filme. O longa tem previsão de estreia para 17 de Julho de 2015 (data em que "Batmans vs. Superman" iria estrear). O ator que viverá o protagonista ainda não foi anunciado, mas existe uma grande possibilidade de ser um ator desconhecido.

- Demolidor

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Gal Gadot assina contrato para três filmes como Mulher-Maravilha

Em entrevista à TV israelense, Gal Gadot ("Velozes e Furiosos 4") revelou detalhes sobre a sua contratação. Ela disse que receberá 300.000 dólares para atuar na continuação de "O Homem de Aço" e que a Warner providenciou para ela mais dois papéis. Há boatos de que seria um papel no filme da Liga da Justiça e um possível filme solo da heroína, porém não é confirmado.

- Demolidor

Tarantino desiste de filmar "The Hateful Eight"

Após anunciar que seu próximo filme será um faroeste e que chamará "The Hateful Eight", o diretor Quentin Tarantino anunciou que o projeto foi para a gaveta. Tarantino diz que enviou o roteiro do longa para três atores: Michael Medsen, Bruce Dern e Tim Roth e seus respectivos agentes. Porém o roteiro vazou e isso acabou com os planos do diretor. Ele diz que pensa em escrever um livro primeiramente para talvez depois fazer um filme sobre "The Hateful Eight". Existem rumores de que o projeto reserva se passaria numa prisão, mas não há nada confirmado.
- Demolidor

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Vencedores do PGA 2014

Hoje o Sindicato de Produtores de Hollywood entregou as premiações do Producers Guild Awards (PGA) 2014. Considerado uma grande prévia do Oscar por ter muitos votantes que também opinam no Oscar, o PGA premia os melhores filmes, séries e minisséries. Na categoria de melhor filme houve um empate entre "12 Anos de Escravidão" e "Gravidade", embolando as estimativas para o Oscar. Eis os vencedores:
Melhor filme:
  • "Gravidade"
  • "12 Anos de Escravidão"
Melhor filme em animação:
  • "Frozen - Uma Aventura Congelante"
Melhor série dramática:
  • "Breaking Bad"
Melhor série cômica:
  • "Modern Family"
Melhor telefilme ou minissérie:
  • "Behind the Candelabra"
Melhor documentário:
  • We Steal Secrets: The Story of WikiLeaks
- Demolidor

sábado, 18 de janeiro de 2014

Vencedores do SAG Awards 2014

Hoje (dia 18 de Janeiro) acontece o 20° Screen Actors Guild (SAG) Awards, um prêmio dado pelo Sindicato de Atores de Hollywood aos melhores atores e atrizes em filmes e séries do ano. A premiação acontece às 22:00 e aqui no Brasil passará ao vivo no canal de TV pago TNT. Eis as categorias e vencedores:
Melhor elenco em filme:
  • "Trapaça"
Melhor ator protagonista em filme:
  • Matthew McConaughey - "Clube de Compras Dallas"
Melhor atriz protagonista em filme:
  • Cate Blanchett - "Blue Jasmine"
Melhor ator coadjuvante em filme:
  • Jared Leto - "Clube de Compras Dallas"
Melhor atriz coadjuvante em filme:
  • Lupita Nyong'O - "12 Anos de Escravidão"
Melhor equipe de dublês em filme:
  • "O Grande Herói"
Melhor elenco em série dramática:
  • "Breaking Bad"
Melhor ator em série dramática:
  • Bryan Cranston - "Breaking Bad"
Melhor atriz em série dramática:
  • Maggie Smith - "Downton Abbey"
Melhor elenco em série cômica:
  • "Modern Family"
Melhor ator em série cômica:
  • Ty Burrell - "Modern Family"
Melhor atriz em série cômica:
  • Julia Louis-Dreyfus - "Veep"
Melhor equipe de dublês em série:
  • "Game of Thrones"
Melhor ator em minissérie/telefilme:
  • Michael Douglas - "Behind the Candelabra"
Melhor atriz em minissérie/telefilme:
  • Helen Mirren - "Phil Spector"
- Demolidor

Crítica de "Tarzan - A Evolução da Lenda"

O rei da selva está volta aos cinemas! Depois de uma excelente animação de 1999, produzida pela poderosa Disney, a lenda de Tarzan volta aos cinemas em estilo de captura de movimento. Com o objetivo de atualizar a história de Tarzan, o filme conta a história de um menino que perdeu os pais muito cedo no meio da selva em uma espécie de acidente de helicóptero. O garoto acabou acabou sendo criado por gorilas que habitavam a selva. Após crescido, o menino chamado Tarzan encontra uma garota chamada Jane e apaixona-se à primeira vista. Nessa história (igual a original), os roteiristas apenas atualizam os meios de comunicação, a forma de se vestir, mas o roteiro tem praticamente os mesmos princípios que a animação da Disney. Mas isso não quer dizer que a obra se iguala à sua anterior. Na verdade, a versão atual é bem mais fraca e vou explicar o porquê.

O roteiro do filme é muito preguiçoso. Tarzan tem um desenvolvimento muito superficial, a dor da morte de seus pais quase nunca é retratada e a sua personalidade quase não se diferencia da dos macacos. O seu amor com Jane é muito forçado, afinal a garota não apresenta rejeição em nenhum ponto do filme e a relação amorosa entre eles é muito falsa. Uma coisa que eu senti falta foi o desenvolvimento dos macacos. Durante o longa inteiro os macacos não são apresentados de forma a serem importantes para a história. Dessa forma, o público não se apega muito a eles, diferente do longa da Disney, onde os macacos eram extremamente importantes e as relações como comunidade deles eram muito bem retratadas. Além de possuir uma trama previsível, o filme apresenta um tom sombrio totalmente desnecessário. Tratando-se de uma animação voltada para crianças, os roteiristas tinham a oportunidade de introduzir alguns alívios cômicos e piadas, mas estes não aparecem durante o desenrolar da trama. Já que não possui nenhuma parte cômica espera-se cenas dramáticas e de superação, porém o longa não nos dá isso. A única coisa que o filme passa é a ambição dos homens em busca de seus objetivos, sem comédia ou drama. Resultado: o público torna-se indiferente à história.

A direção é do alemão Reinhard Klooss ("Animais Unidos Jamais Serão Vencidos"). O diretor apresenta uma timidez para movimentos de câmera complexos, prendendo-se apenas à retratação das situações e personagem presentes no roteiro. Além disso, o diretor errou ao escolher fazer o filme em captura de movimento. Não que a captura seja ruim, pelo contrário, a captura é muito fluida e possui um alto índice de qualidade. Mas, deixando de fazer em animação, o diretor perdeu os traços que deixam os personagens caricatos e não fazendo da forma live-action ele perdeu a oportunidade de uma boa interpretação de algum ator. Dessa forma, o filme ficou sem personagens caricatos e sem desenvolvimentos profundos, prejudicando ainda mais o desenrolar da história. Como já disse o desempenho gráfico do filme é excelente, assim como sua ambientação. A selva é muito bem detalhada, assim como os traços dos personagens.

Provavelmente a bilheteria do filme não será muito alta. Mesmo tratando-se de um filme infantil, essa nova história não precisa ser vista pelas crianças. Às vezes o longa chega a ser entediante, por isso um conselho: se está pensando em assistir algum filme do gênero no cinema assista "Frozen - Uma Aventura Congelante" pois a diversão e o entretenimento serão muito maiores. O filme deixa a certeza de que o Tarzan não precisava ser "apopizado", desperdiçando a excelente lenda do rei da selva para tentar demonstra poder gráfico.

Nota: 

- Demolidor

"Batman vs. Superman" é adiado

A Warner anunciou que a continuação de "O Homem de Aço" (2012), intitulada (por enquanto) "Batman vs Superman" foi adiada em 10 meses. Antes previsto para Julho de 2015, o filme agora tem previsão de estreia para Maio de 2016. No lugar, a Warner anunciou o filme "Pan", um filme que contará a origem de Peter Pan, e que possuirá no elenco Hugh Jackman como o Barba Negra, para estrear em Julho de 2015. Esse adiamento pode ter uma ligação com os rumores de que a Warner planeja produzir ao mesmo tempo  "Batman vs Superman" e um filme da Liga da Justiça, assim como fez nas trilogias "O Senhor dos Anéis" e "O Hobbit" e nos dois últimos filmes da trilogia "Matrix".

- Demolidor

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

SB-TV #25 - Injustice: Gods Among Us


- Bilbo

Indicados ao Oscar 2014

 Hoje acontece a divulgação dos filmes indicados para o Oscar 2014. Os indicados serão anunciados pelo ator Chris Hemsworth (o Thor) e a premiação do Oscar será realizada no dia 2 de Março. Eis os indicados em tempo real:
Melhor filme:
  • "Gravidade"
  • "O Lobo de Wall Street"
  • "Trapaça"
  • "Ela"
  • "Nebraska"
  • "Philomena"
  • "Capitão Phillips"
  • "Clube de Compras Dallas"
  • "12 Anos de Escravidão"
Melhor diretor:
  • Martin Scorsese - "O Lobo de Wall Street"
  • Alfonso Cuarón - "Gravidade"
  • David O. Russel - "Trapaça"
  • Steve McQueen - "12 Anos de Escravidão"
  • Alexander Payne - "Nebraska"
Melhor ator:
  • Chiwetel Ejiofor - "12 Anos de Escravidão"
  • Leonardo DiCaprio - "O Lobo de Wall Street"
  • Christian Bale - "Trapaça"
  • Bruce Dern - "Nebraska"
  • Matthew McConaughey - "Clube de Compras Dallas"
Melhor atriz:
  • Cate Blanchett - "Blue Jasmine"
  • Sandra Bullock - "Gravidade"
  • Meryl Streep - "Álbum de Família"
  • Amy Adams - "Trapaça"
  • Judi Dench - "Philomena"
Melhor ator coadjuvante:
  • Barkhad Abdi - "Capitão Phillips"
  • Michael Fassbender - "12 Anos de Escravidão"
  • Jonah Hill - "O Lobo de Wall Street"
  • Bradley Cooper - "Trapaça"
  • Jared Leto - "Clube de Compras Dallas"
Melhor atriz coadjuvante:
  • Jennifer Lawrence - "Trapaça"
  • Julia Roberts - "Álbum de Família"
  • Sally Hawkins - "Blue Jasmine"
  • Lupita Nyong'O - "12 Anos de Escravidão"
  • Jane Squibb - "Nebraska"
Melhor roteiro original:
  • Woody Allen - "Blue Jasmine"
  • Eric Singer/David O. Russel - "Trapaça"
  • Spike Jonze - "Ela"
  • Craig Borten/Melisa Wallack - "Clube de Compras Dallas"
  • Bob Nelson - "Nebraska"
Melhor roteiro adaptado:
  • Richard Linklater/Julie Delpy/Ethan Hawke - "Antes da Meia-Noite"
  • Billy Ray - "Capitão Phillips"
  • Steve Coogan/Jeff Pope - "Philomena"
  • John Ridley - "12 Anos de Escravidão"
  • Terence Winter - "O Lobo de Wall Street"
Melhor animação:
  • "Frozen - Uma Aventura Congelante"
  • "Vidas ao Vento"
  • "Os Croods"
  • "Meu Malvado Favorito 2"
  • "Ernest & Celestine"
Melhor animação em curta-metragem:
  • "Feral"
  • "Get a Horse!"
  • "Mr Hublot"
  • "Possessions"
  • "Room on the Broom"
Melhor documentário:
  • "The Act of Killing"
  • "Cutie and the Boxer"
  • "Dirty Wars"
  • "20 Feet From Stardom"
  • "The Square"
Melhor documentário em curta-metragem:
  • "CaveDigger"
  • "Facing Fear"
  • "Karama Has no Walls"
  • "The Lady in Number 6: Music Saved my Life"
  • "Prison Terminal: The Last Days of Private Jack Hall"
Melhor filme estrangeiro:
  • "A Grande Beleza" - (Itália)
  • "A Caça" - (Dinamarca)
  • "Alabama Monroe" - (Bélgica)
  • "L'image manquante" - (Cambodia)
  • "Omar" - (Palestina)
Melhor fotografia:
  • "Gravidade"
  • "Os Suspeitos"
  • "Nebraska"
  • "Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum"
  • "O Grande Mestre"
Melhor figurino:
  • "O Grande Gatsby"
  • "Trapaça"
  • "12 Anos de Escravidão"
  • "O Grande Mestre"
  • "The Invisible Woman"
Melhor montagem:
  • "Capitão Phillips"
  • "Clube de Compras Dallas"
  • "Gravidade"
  • "12 Anos de Escravidão"
  • "Trapaça"
Melhor maquiagem e cabelo:
  • "Clube de Compras Dallas"
  • "Vovô sem Vergonha"
  • "O Cavaleiro Solitário"
Melhor design de produção:
  • "Trapaça"
  • "Gravidade"
  • "O Grande Gatsby"
  • "Ela"
  • "12 Anos de Escravidão"
Melhor edição de som:
  • "Gravidade"
  • "O Hobbit - A Desolação de Smaug"
  • "Capitão Phillips"
  • "O Grande Herói"
  • "Até o Fim"
Melhor mixagem de som:
  • "Gravidade"
  • "O Hobbit - A Desolação de Smaug"
  • "Capitão Phillips"
  • "O Grande Herói"
  • "Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum"
Melhores efeitos especiais:
  • "Gravidade"
  • "O Hobbit - A Desolação de Smaug"
  • "O Cavaleiro Solitário"
  • "Homem de Ferro 3"
  • "Star Trek - Além da Escuridão"
Melhor trilha sonora:
  • "A Menina que Roubava Livros"
  • "Gravidade"
  • "Ela"
  • "Philomena"
  • "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"
Melhor canção original:
  • "Happy" - "Meu Malvado Favorito 2"
  • "Let it Go" - "Frozen - Uma Aventura Congelante"
  • "Ordinary Love" - "Mandela"
  • "The Moon Song" - "Ela"
  • "Alone Yet not Alone" - "Alone Yet not Alone"

- Demolidor


quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

"O Planeta dos Macacos 3" ganha data de estreia

Após anunciar que o diretor Matt Reeves ("O Planeta dos Macacos: O Confronto") continuará na direção de um terceiro filme da franquia, a 20th Century Fox confirmou a data de lançamento do filme. O longa chega aos cinemas estadunidenses no dia 29 de Julho de 2016. No Brasil, a data não foi confirmada.

- Demolidor

Indicados para o Framboesa de Ouro 2014

O prêmio Framboesa de Ouro é um famoso prêmio dado aos piores filmes do ano. Essa edição é a 34° e o prêmio será entregue no dia 1° de Março (na véspera do Óscar). Eis as categorias e os indicados:
Pior Filme:

  • "O Cavaleiro Solitário"
  • "Gente Grande 2"
  • "Depois da Terra"
  • "Para Maiores"
  • "A Madea Christmas"
Pior ator:
  • Sylvester Stallone - "Ajuste de Contas", "Rota de Fuga" e "Alvo Duplo"
  • Adam Sandler - "Gente Grande 2"
  • Jaden Smith - "Depois da Terra"
  • Ashton Kutcher - "Jobs"
  • Johnny Depp - "O Cavaleiro Solitário"
Pior atriz:
  • Selena Gomez - "Getaway"
  • Lindsay Lohan - "The Canyons"
  • Halle Berry - "Para Maiores" e "Chamada de Emergência"
  • Naomi Watts - "Para Maiores" e "Diana"
  • Tyler Perry - "A Madea Christmas"
Pior ator coadjuvante:
  • Will Smith - "Depois da Terra"
  • Chris Brown - "A Batalha do Ano"
  • Taylor Lautner - "Gente Grande 2"
  • David Spade - "Gente Grande 2"
  • Nick Swardson - "Gente Grande 2"
  • Larry The Cable Guy - "A Madea Christmas"
Pior atriz coadjuvante:
  • Lady Gaga - "Machete Mata"
  • Lindsay Lohan - "Todo Mundo em Pânico 5"
  • Salma Hayak - "Gente Grande 2"
  • Katherine Heigl - "O Casamento do Ano"
  • Kim Kardashian - "Relação de Risco"
Pior remake, cópia ou sequência:
  • "Gente Grande 2"
  • "O Cavaleiro Solitário"
  • "Os Smurfs 2"
  • "Todo Mundo em Pânico 5"
  • "Se Beber, Não Case! Parte III"
Pior parceria:
  • Jaden Smith e Will Smith no planeta nepotismo ("Depois da Terra")
  • Todo o elenco de "Gente Grande 2"
  • Lindsay Lohan e Charlie Sheen em "Todo Mundo em Pânico 5"
  • Todo o elenco de "Para Maiores"
  • Tyler Perry e Larry the Cable Guy e sua peruca e vestido em "A Madea Christmas"
Pior roteiro:
  • "Gente Grande 2"
  • "O Cavaleiro Solitário"
  • "Depois da Terra"
  • "A Madea Christmas"
  • "Para Maiores"
Pior diretor:
  • M. Night Shyamalan - "Depois da Terra"
  • Dennis Dugan - "Gente Grande 2"
  • Gore Verbinsky - "O Cavaleiro Solitário"
  • Tyler Perry - "Relação em Risco" e "A Madea Christmas"
  • Os 13 diretores de "Para Maiores"
- Demolidor

Confirmado ator em "Os Vingadores 2"

O personagem da marvel Barão Wolfgang von Strucker aparecerá no longa que reunirá os "maiores super-heróis da Terra" e será interpretado por Thomas Kretschmann (King Kong). O personagem, que é um dos criadores da H.I.D.R.A. será um vilão secundário do filme, atrás do principal que será Ultron, interpretado por James Spader.


"Os Vingadores 2" é novamente dirigido por Joss Whedon e tem data de estreia marcada para maio de 2015.

- Bilbo

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Johnny Depp pode viver o Doutor Estranho em filme da Marvel

Segundo o Latino Review, o ator Johnny Depp ("Piratas do Caribe", "A Fantástica Fábrica de Chocolate") teve negociações com a Marvel para interpretar o Doutor Estranho. O Doutor Estranho é um herói que usa muitos elementos místicos e mágicos e se o roteirista de seu filme for bom, podemos ver coisas interessantes no cinema. O filme do Doutor Estranho é previsto para 2016 e ele iniciará a Fase 3 da Marvel nos cinemas. A escolha de Johnny Depp não seria nenhuma surpresa, afinal outros atores cômicos já foram contratados pela Marvel como Robert Downey Jr e, recentemente, Paul Rudd.




- Demolidor

Crítica de "Sherlock - 3° Temporada"

O morador mais ilustre da Baker Street está de volta na TV. Com três episódios de aproximadamente uma hora e meia, a terceira temporada da série teve seu desenrolar. Produzida pela BBC, a série acompanha o detetive particular Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch) com seu fiel escudeiro John Watson (Martin Freeman) em suas aventuras para desevendar mistérios. Porém diferentemente dos romances de Arthur Conan Doyle onde a história passava-se antigamente, a série mostra uma versão atual do detetive, com a tecnologia ajudando no desvendamento de crimes. O interessante da série ser feita na Inglaterra é que passa-se uma imagem mais fiel a obra original, ao mesmo tempo que introduz o velho e bom humor inglês aos fatos decorridos na temporada.

A 3° temporada da série (a temporada em que irei comentar) foi bem compacta. A trama foi bem divida nos três episódios, mostrando assassinatos, casamentos e fatos inesperados. Acho que o índice de qualidade continua altíssimo, porém as temporadas anteriores foram mais bem encaixadas e o roteiro delas foi muito melhor arquitetado. A 3° temporada apresenta muitos conflitos emocionais entre os personagens, o que chega a ser interessante, mas depois de um tempo, isso fica repetitivo. O roteiro continua brilhante, porém a temporada não conseguiu encontrar um adversário à altura de Sherlock Holmes, como foi o Professor Moriarty nas últimas temporadas. A relação entre Sherlock e John foi muito bem desenvolvida e os diálogos entre os dois são divertidíssimos. Mesmo tratando-se de episódios com uma longa duração, a temporada conseguiu sempre prender a atenção do espectador e a trama principal de cada episódio foi proposta desde o início, proporcionando um apega ao enredo e a história.

A série continua com atuações brilhantes. Martin Freeman faz um ótimo trabalho no papel de John Watson, retratando as dúvidas e emoções do personagem. Porém quem se destaca é o fabuloso Benedict Cumberbatch, que retrata de forma genial a genialidade de Sherlock Holmes. Toda a loucura, a inteligênica e a percepção que o personagem possui são bem transmitidos a tela de uma forma brilhante. Me atrevo a dizer que ele é um dos melhores Sherlock Holmes que eu já vi. O elenco coadjuvante também é bom, sempre cumprindo seu papel na hora requisita.

A direção da temporada é boa, retratando as deduções de Sherlock. Porém a direção deixou de dar um clima tenso (que tinha nas temporadas anteriores) para as situações, fazendo com que a série ficasse mais leve, sem muito clima de suspense. Não que isso seja uma coisa ruim, mas o clima de suspense que ficava no ar quando Sherlock não conseguia decifrar a mente de determinado adversário, era impagável e uma experiência muito melhor de ser assistida. A posição da câmera tem uma qualidade cinematográfica e todo o ambiente é bem explorado. A ambientação de Londres é boa e o figurino faz referências ao personagem dos livros, dando um brilho nos olhos dos fãs. A série possui alguns efeitos especiais, como o artefato da câmera lenta (não como nos filmes do Zack Snyder) que é usado com o intuito de dar uma beleza visual a cena. É interessante como é bem feito, afinal são praticamente três filmes num espaço de duas semanas.

A temporada é extremamente divertida e retrata muito bem a relação cômica entre os personagens. Porém o que torna a temporada brilhante são os desvendamentos dos crimes e a arrogância de Sherlock Holmes. A série britânica continua no seu brilhantismo, só decaindo um pouco pela falta de vilões a altura de Sherlock Holmes, porém isso não será um problema para a próxima temporada. Elementar.
Nota: 





- Demolidor

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Michael Douglas será Hank Pym no filme do "Homem-Formiga"

A Marvel anunciou que o ator Michael Douglas será o Hank Pym no filme do Homem-Formiga. Hank Pym, nos quadrinhos, é o cientista que produz o soro capaz de mudar qualquer coisa de tamanho e que torna-se o primeiro Homem-Formiga. Hank Pym também é um dos membros fundadores dos Vingadores. Scott Lang (que será interpretado pelo Paul Rudd) é, nos quadrinhos, um ladrão que rouba a tecnologia de Hank Pym, a fim de ganhar dinheiro para ajudar no tratamento de sua filha doente. O filme do Homem-Formiga usará dos dois heróis e provavelmente surgirá uma relação de inimigo entre eles. A previsão de estreia para "Homem-Formiga" é 31 de Julho de 2015 e a direção é de Edgar Wright.



- Demolidor

Primeiro trailer da 4° temporada de "Game of Thrones"

A série "Game of Thrones" baseada nos livros de George Martin ganhou o primeiro trailer da sua próxima temporada! Após um final emocionante, a 4° temporada promete guerras, traições, reviravoltas e intrigas. A estreia na HBO aqui no Brasil será simultânea a dos EUA, no dia 6 de Abril.

- Demolidor

domingo, 12 de janeiro de 2014

Vencedores do Globo de Ouro 2014

Hoje (dia 12 de Janeiro) acontece o 71° Globo de Ouro 2014. A Associação de Imprensa Estrangeira premiará os melhores filmes, séries, minisséries e telefilmes de 2013. A premiação é apresentada por Tina Frey e Amy Poehler. Eis os premiados (atualizados):
Melhor filme em drama:
  • "12 Anos de Escravidão"
Melhor filme em musical/comédia:
  • "Trapaça"
Melhor ator em drama:
  • Matthew McConaughey - "Clube de Compras Dallas"
Melhor atriz em drama:
  • Cate Blanchett - "Blue Jasmine"
Melhor ator em musical/comédia:
  • Leonardo DiCaprio - "O Lobo de Wall Street"
Melhor atriz em musical/comédia:
  • Amy Adams - "Trapaça"
Melhor ator coadjuvante:
  • Jared Leto - "Clube de Compras Dallas"
Melhor atriz coadjuvante:
  • Jennifer Lawrence - "Trapaça"
Melhor diretor:
  • Alfonso Cuáron - "Gravidade"
Melhor roteiro:
  • Spike Jonze - "Ela"
Melhor filme em língua estrangeira:
  • "A Grande Beleza" (Itália)
Melhor animação:
  • "Frozen - Uma Aventura Congelante"
Melhor trilha sonora original:
  • "All Is Lost"
Melhor música original:
  • "Ordinary Love" - "Mandela: Long Walk to Freedom"
Melhor série em drama:
  • "Breaking Bad"
Melhor ator em série de drama:
  • Bryan Cranston - "Breaking Bad"
Melhor atriz em série de drama:
  • Robin Wright - "House of Cards"
Melhor série em comédia/musical:
  • "Brooklyn Nine-Nine"
Melhor ator em comédia/musical:
  • Andy Samberg - "Brooklyn Nine-Nine"
Melhor atriz em comédia/musical:
  • Amy Poehler - "Parks and Recreation"
Melhor minissérie ou telefime:
  • "Behind the Candelabra"
Melhor ator em minissérie ou telefilme:
  • Michael Douglas - "Behind the Candelabra"
Melhor atriz em minissérie ou telefilme:
  • Elizabeth Moss - "Top of the Lake"
Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou telefilme:
  • Jon Voight - "Ray Donovan"
Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou telefilme:
  • Jacqueline Bisset - "Dancing on the Edge"

- Demolidor

Próximo filme de Tarantino intitulado "The Hateful Eight"

Após o sucesso de "Django Livre" (2012), Tarantino decidiu continuar no gênero western para o seu próximo longa. O longa chamará originalmente "The Hateful Eight" (o título em portugês ainda não foi anunciado). Não se tem notícias do roteiro, nem do elenco, mas existe grande possibilidade do austríaco Cristoph Waltz voltar para mais um longa com Tarantino. Após participar de "Bastardos Inglórios" e "Django Livre" (em ambos o ator ganhou Óscar) Cristoph Waltz será provavelmente convidado a participar de "The Hateful Eight". O lançamento ainda não foi definido, mas quando tivermos mais notícias divulgaremos aqui.
- Demolidor

sábado, 11 de janeiro de 2014

"Jogos Vorazes - Em Chamas" ultrapassa "Homem de Ferro 3" na bilheteria dos EUA

O filme "Jogos Vorazes - Em Chamas" ultrapassou "Homem de Ferro 3" na bilheteria dos EUA. Com 400.000 dólares arrecadados a mais que o filme de Robert Downey Jr (por enquanto), o filme de Jennifer Lawrence tornou-se o mais lucrativo nos EUA, dentre os lançados em 2013. O longa ainda está em cartaz, então pode arrecadar ainda mais e subir mais alto no ranking das maiores bilheterias. (Veja as maiores bilheterias de 2013 no Brasil e no mundo).

- Demolidor

Anunciada data de estreia de "Better Call Saul"

O canal americano AMC anunciou a data de estreia de "Better Call Saul", série que acompanhará o advogado trambiqueiro Saul Goodman  que aparece na série "Breaking Bad". Nos EUA a série estreará em novembro (sem dia definido) e no Brasil provavelmente estreará  no início de 2015 pela Netflix.

- Demolidor

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Rupert Friend protagonizará "Agent 47"

O ator Rupert Friend ("Homeland") substituirá Paul Walker no novo filme baseado na franquia de jogos "Hitman". O filme (sem previsão de lançamento) não será relacionado com "Hitman - Assassino 47" (2007) e detalhes do roteiro estão para ser divulgados. Rupert Friend interpretará o assassino Hitman e a direção é do estreante Aleksander Bach.

- Demolidor

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Matt Reeves dirigirá o terceiro filme da franquia "O Planeta dos Macacos"

Matt Reeves ("O Planeta dos Macacos: O Confronto") continuará na direção para o terceiro filme da franquia. Parece que os produtores da 20th Century Fox gostaram do resultado da continuação e já anunciaram a permanência do diretor. "Planeta dos Macacos: O Confronto" estreia no próximo dia 25 de Julho e o terceiro ainda não tem previsão de lançamento e nem título definido.

               - Demolidor

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Indicados ao Writers, Producers e Director Guild Awards 2014

Foram anunciados as séries e filmes indicados a 3 prêmios subsequentes do Oscar! As premiações são Writers Guild Awards (1° de Fevereiro), Producers Guild Awards (19 de Janeiro) e Director Guild Awards (25 de Fevereiro).
Writers Guild Awards:
Melhor roteiro original em filme:
  • "Trapaça"
  • "Blue Jasmine"
  • "Ela"
  • "Nebraska"
  • "Dallas Buyers Club"
Melhor roteiro adaptado em filme:
  • "Capitão Phillips"
  • "O Lobo de Wall Street"
  • "Álbum de Família"
  • "Antes da Meia-Noite"
  • "O Grande Herói"
Melhor série dramática:
  • "Breaking Bad"
  • "Mad Men"
  • "House of Cards"
  • "Homeland"
  • "The Good Wife"
Melhor série de comédia:
  • "Modern Family"
  • "Veep"
  • "30 Rock"
  • "Orange is The New Black"
  • "Parks and Recreation"
Melhor série nova:
  • "House of Cards"
  • "The Americans"
  • "Orange is The New Black"
  • "Masters of Sex"
  • "Ray Donovan"
Producers Guild Awards:
Melhor filme:
  • "Capitão Phillips"
  • "Gravidade"
  • "Blue Jasmine"
  • "12 Anos de Escravidão"
  • "O Lobo de Wall Street"
  • "Nebraska"
  • "Trapaça"
  • "Ela"
  • "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"
  • "Dallas Buyers Club"
Melhor filme em animação:
  • "Frozen - Uma Aventura Congelante"
  • "Universidade Monstros"
  • "Meu Malvado Favorito 2"
  • "Os Croods"
  • "O Reino Escondido"
Melhor série dramática:
  • "Breaking Bad"
  • "Game of Thrones"
  • "Homeland"
  • "House of Cards"
  • "Downton Abbey"
Melhor série cômica:
  • "The Big Band Theory"
  • "Veep"
  • "Arrested Development"
  • "30 Rock"
  • "Modern Family"
Melhor telefilme ou minissérie:
  • "Behind the Candelabra"
  • "Phil Spector"
  • "American Horror Story: Asylum"
  • "Killing Kennedy"
  • "Top of The Lake"
Directors Guild Awards:
Melhor diretor:
  • Martin Scorsese - "O Lobo de Wall Street"
  • Alfonso Cuáron - "Gravidade"
  • Paul Greengrass - "Capitão Phillips"
  • Steve McQueen - "12 Anos de Escravidão"
  • David O. Russel - "Trapaça"


- Demolidor











segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

"Antes de Watchmen - Dollar Bill e Moloch"

Já está nas bancas a mais nova HQ da série que conta o prelúdio do grupo Watchmen. Essa edição é voltada para dois personagens, um vilão e um herói. A primeira parte mostra o vilão, conhecido como Moloch, que nasceu com uma deficiência que o afastou e o excluiu de seus colegas de classe, tornando-o muito recluso e tímido. Uma vez o circo foi a sua cidade e o personagem ficou fascinado com aquele espetáculo e decidiu que se tornaria um mágico, e com a ajuda do mágico local, ele aprendeu alguns truques que fascinaram as crianças que antes o maltratavam, despertando o amor que ele tinha pela magia. Mas com o passar do tempo o personagem sofreu uma forte desilusão amorosa, levando-o a cometer um grande crime, e consequentemente fugir de sua cidade natal, com destino a cidade de Chicago. Mais tarde, mostra como o dinheiro de seus shows de mágica não lhe rendiam quase nada e ele decidiu usar seus truques para cometer crimes e assim começa a consolidação do vilão, até o encontro com os Minutemen e até com o mais poderoso herói dos quadrinhos, o Dr. Manhattan. Depois de idas e vindas a cadeia, o vilão decide parar e recomeçar, recebendo uma inesperada ajuda de Ozymandias. A parte do vilão na HQ é muito interessante, porque apresenta cenas presentes na HQ e no filme "Watchmen" (dirigido por Zack Snyder).

 A segunda parte da HQ mostra a historia de um dos membros do Minutemen, Dollar Bill, que machucou o joelho jogando futebol americano, encerrando sua carreira no esporte. Depois da frustação, ele se mudou para Manhattan, onde procurava achar alguma coisa que poderia alavancar sua carreira. Com o passar do tempo e mais frustrações ele acha uma oportunidade de ser o mais novo garoto propaganda do renomado National Bank, ele se tornaria o Dollar Bill. A primeira história é bem superior que a do herói, principalmente pelo seu roteiro mais inteligente e o fato de o personagens se envolverem mais com o leitor, prejudicando um pouco um do valor total da HQ, mas continua agrandando, principalmente pelo seu tom realístico e cativante, presente em grande parte da série Antes de Watchmen.

 Mesmo com a primeira história sendo superior, é interessante a forma com que o Dollar Bill foi inserido no universo Watchmen e seu desenvolvimento é muito bacana (coisa que não acontece em "Watchmen". Na HQ de Alan Moore o herói apenas é citado). A arte das HQs também é trabalhada nos detalhes e nas sombras que querem passar esta ou aquela impressão. Duas histórias que abrangem diferentes gostos, mas que dão a tonalidade certa para relembrar a clássica obra de Alan Moore, nos deixando ansiosos para a próxima (e última) edição.

- Vader

domingo, 5 de janeiro de 2014

Crítica de "Atividade Paranormal: Marcados pelo Mal"

Mais um filme da série "Atividade Paranormal", completando cinco longas. Desta vez, segundo os produtores, o filme é direcionado para o público latino-americano. O longa conta a história de Jesse, um homem que acaba sendo… bom, não darei spoilers, mas dá para ter uma ideia do que acontece com ele, ainda mais por esse ser o quinto filme de uma franquia que pouco se renova. Após o ocorrido, seus amigos tentam curá-lo e daí o filme se desenrola. O problema é que demora quase uma hora para o longa se desenrolar. Ele demora muito para realmente começar. Outro ponto negativo é a classificação do gênero do filme, que é terror. Mas ele não dá medo. Chega a provocar alguns sustos, mas ninguém sai do cinema amedrontado. É como um filme de comédia que só promove uns sorrisos. Porém o filme acerta num aspecto técnico que é a forma como ele é filmado. A câmera fica na mão de um personagem o tempo todo, algo que já haviam explorado desde o começo da franquia, o que dá uma certa sensação de realismo.
A atuação é boa, mesmo com nenhum nome de peso. Andrew Jacobs interpreta o protagonista Jesse e consegue retratar bem a transformação do personagem. Jorge Diaz é Hector, amigo de Jesse. É o personagem que está em quase todas as cenas, mesmo sendo um dos que menos aparece, isso acontece por que é ele que segura a câmera na maioria do filme. Gabrielle Walsh interpreta Marisol, outra amiga do protagonista. Sua atuação é boa. Esses atores têm uma vantagem, que é poder olhar para a câmera, o que acontece muito no filme dando a impressão de que aquilo realmente foi filmado a mão por Hector. Nenhum desses atores trabalharam em algum filme de Hollywood antes, o que significa que poderemos ver o nome deles mais vezes mais para frente.
Os efeitos visuais não são dos melhores, mas como a câmera treme muito nos momentos em que são usados, eles parecem mais realistas, isso é uma técnica usada desde sempre pelos diretores e mestres da computação gráfica. Mesmo assim, o filme não possui muitos efeitos especiais. A fotografia é pouco explorada, o que acontece muito é a granulação da imagem em ambientes escuros, afinal, teoricamente, o filme foi filmado numa câmera de mão. Ainda assim, conseguem criar (bem pior do que nos primeiros filmes) lugares e pessoas assustadores.
O filme é dirigido por Christopher Landon, diretor dos três filmes anteriores da franquia. A direção continua parecida. Como já citado, a câmera de mão ajuda a dar a tensão. Além disso, as cenas de sustos são bem construídas e, mesmo com o espectador já sabendo que vai acontecer algo assustador, a cena ainda chega inesperadamente, algo que funciona muito bem. Mas é só isso, só os sustos. Não acontece o terror.
No geral, o filme é ruim, mas vai fazer muito dinheiro, o que significa que provavelmente veremos uma continuação. Um filme que assusta, mas com um roteiro previsível. Se os produtores fizeram esse filme dirigindo-se ao público latino-americano, então eles nos consideram ignorantes. Se estão certos ou errados, só a bilheteria do filme vai dizer.

Nota:

- Bilbo

sábado, 4 de janeiro de 2014

Maiores bilheterias de 2013

O ano acabou e então fizemos uma pesquisa para descobrir quais foram as maiores bilheterias no Brasil e no mundo! No Brasil os 10 primeiros colocados foram:
  • 1°-  "Homem de Ferro 3"
  • 2° - "Meu Malvado Favorito 2"
  • 3° - "Thor - O Mundo Sombrio"
  • 4° - "Minha Mãe é uma Peça" (veja nossa crítica)
  • 5° - "Velozes e Furiosos 6"
  • 6° - "De Pernas pro Ar 2"
  • 7° - "Wolverine: Imortal" (veja nossa crítica)
  • 8° - "João e Maria: Caçadores de Bruxas"
  • 9° - "Detona Ralph"
  • 10° - "Jogos Vorazes - Em Chamas"
No mundo os filmes com as maiores bilheterias foram:
E você, quais desses filmes assitiu? Comente aí embaixo!

- Demolidor

AFI rankeia os melhores filmes e séries de 2013

O AFI (American Film Institute) famoso site americano que sempre promove listas de melhores filmes divulgou a lista dos melhores filmes e séries de 2013 (tratando-se de um site americano todos são americanos). Eis a lista de filmes:
  • "12 Anos de Escravidão"
  • "Trapaça"
  • "Capitão Phillips"
  • "Fruitvale Station - A Última Parada"
  • "Gravidade"
  • "Ela"
  • "Inside Llewyn Davis - Balada de um Homem Comum"
  • "Nebraska"
  • "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"
  • "O Lobo de Wall Street"
Eis a lista de séries:
  • "The Americans"
  • "Breaking Bad"
  • "Game of Thrones"
  • "The Good Wife"
  • "House of Cards"
  • "Mad Men"
  • "Masters of Sex"
  • "Orange is The New Black"
  • "Scandal"
  • "Veep"

 - Demolidor

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Crítica de "Frozen - Uma Aventura Congelante"

Nessa sexta estreia o primeiro filme de 2014 aqui no Brasil! Produzido pela Walt Disney Pictures, "Frozen - Uma Aventura Congelante" conta a história da princesa Elsa que tem o poder de criar e controlar gelo. Dessa forma, numa festa em que tudo dá errado, a então rainha lança uma maldição em que o reino inteiro fica debaixo de neve e gelo. Elsa foge e fica em um abrigo longe do castelo. Porém sua irmã Anna, juntamente com um homem chamado Kristoff e seu alce, além dum boneco de neve chamado Olavo, partem em uma aventura para acabar com esse inverno e fazer com que o Sol volte a brilhar mais forte. A mitologia do reino congelado é inovadora tratando-se de Disney, e isso torna o filme melhor ainda, pois mesmo tendo os clichês de filmes de princesas Disney, a mitologia é totalmente nova e criativa. O roteiro é muito bem escrito e desenvolve muito bem os personagens. A relação de proteção entre as irmãs é muito bem feita e o  filme consegue equilibrar as cenas dramáticas com as de aventura e tensão. Apesar de haver clichês conhecidos, o filme consegue criar uma identificação com os personagens, em que o espectador sempre espera para que tudo dê certo no final. O longa tem um clima tenso e apreensivo, contando um simples e boa história. Mas é claro que não existe só momentos de tensão. Os alívios cômicos estão presentes sempre no boneco de neve Olavo (dublado pelo comediante Fábio Porchat aqui no Brasil) e são engraçados pela ingenuidade do personagem. O filme também é um musical. Muitos compararam o filme com clássicos como "A Bela e a Fera", "Rei Leão" e "A Pequena Sereia" e eles têm sua semelhança, mas são obras diferentes (mas todas ótimas). As músicas, além de terem uma melodia bonita, ajudam a contar a história de uma forma dinâmica e não chegando a ser entediante como em outros musicais.
A dublagem (tanto brasileira quanto americana) é bem feita, mas aqui no Brasil existem vozes que não se adequam a determinados personagens causando uma estranheza. O visual do filme é vislumbrante. Toda a ambientação na neve e a movimentação dos personagens sendo apresentada de uma forma totalmente sutil demonstra a qualidade técnica do estúdio. Além disso, as feições são muito bem trabalhada. O diretor não é muito reparado, mas ele consegue contar uma aventura de uma forma divertida e emocionante.
O filme possui suas partes cômicas e emocionantes. O roteiro surpreende às vezes e toca o coração em determinados diálogos e situações. Além de proporcionar diversas emoções o filme passa uma mensagem muito legal ao púlbico alvo (infantil). O longa passa a mensagem de que o amor é a maior solução para os problemas e que é preciso perseverar para conquistar as coisas. Filme remete clássicos da Disney, ao mesmo tempo que introduz uma mitologia nova de um forma emocionante e torna-se na primeira semana de 2014, um filme marcante do ano.

Nota:

- Demolidor

SB-TV #23 - Retrospectiva Filmes 2013

Acabou 2013! Agora é hora de recordar os melhores filmes do segundo semestre do ano! Com vocês, o SB-TV #23 com a retrospectiva de 2013!


- Bilbo

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Novo trailer de "O Espetacular Homem-Aranha 2 - A Ameaça de Electro"

E aí pessoal, aqui está a primeira postagem de 2014! Saiu um novo trailer do filme do amigão da vizinhança especial de ano novo. Confiram!


- Bilbo